Valeu a pena…

Nessa semana, depois de alguns dias de recesso do consultório devido a uma pequena cirurgia, retornei ao batente. Já no retorno, fui mais uma vez surpreendido com uma reflexão de um paciente. Ele me disse que: “Doutor, o tratamento em psiquiatria nada mais é do que um resgate de sonhos e ilusões. Sobre o sofrer, cabe àquele que sofre sonhar. Sonhar por dias melhores. Ou seja, cabe pescar boas ilusões. Sei que, às vezes, isso acaba por ser difícil, mas é necessário. O tratamento tem que ser um meio para tal. De alguma forma, é função do tratamento pescar sonhos…

0 Comentários

Um par de sapatos

Periferia! Essa era a minha vida. Com muito orgulho, comecei daí. Como muito prazer, comecei sonhar a partir de lá. Um bairro pobre e periférico na cidade de Fortaleza/CE. Ele se chamava Álvaro Weyne. Como qualquer bairro periférico, a conjuntura era a mesma, ou seja: molecada na rua, pouco dinheiro e muita alegria. Uma criança e um adolescente humilde que buscava, somente, ter uma vida melhor e, quiçá, feliz. Assim, eu era. As limitações financeiras nunca foram capazes de frear os meus sonhos, embora entenda que é muito mais complicado sonhar em condições desfavoráveis. Desse modo, a palavra meritocracia é…

0 Comentários

E quando o cassetete machucar?

E quando o cassetete machucar? Cenas como a destacada no vídeo abaixo mostram como a sociedade está adoentada. Ressalto que o objetivo desse meu curto artigo é refletir sobre a nossa capacidade para sermos agressivos e habilidosos em propagar o ódio. Não desejo desvalorizar nenhuma instituição policial ou de segurança até por que creio que quem age dessa forma não promove segurança. Ninguém pode apoiar isso. Pouco importa se o morador de rua faz ou não uma atividade legal. Pouca importa se o morador de rua desacatou ou não a autoridade. Pouco importa! Nada justifica uma agressão tão covarde. Seria…

0 Comentários

Eu temo o futuro…

Acredito que a democracia, mesmo com suas dificuldades, ainda é o melhor sistema. Claro que a própria democracia tem seus equívocos e os “Freios e Contrapesos” de Montesquieu não conseguem garantir um equilíbrio democrático pleno. E a justificativa disso vem do ser humano e não do sistema em si. Os desvios podem, sempre, ser alçados e alcançados. Para tal, basta que os desejos e os atores negociem entre si. Contudo, eu ressalto, novamente, que a democracia ainda é a opção mais agradável aos coletivos sociais. A democracia permite, pelo menos em tese, que a alteridade seja percebida na busca de…

0 Comentários