Uma noite em claro

tosse

Tosse e broncoespasmo;
Ele chora;
A angústia em entusiasmo;
Ele acorda;
A secura de Brasília faz sarcasmo;
Ele olha;
Sem sinais que implica;
Ele quer dormir;
Sem febre e achados que arrisca;
Ele quer colo;
Preparando o elixir;
Ele espera;
Minha resiliência a se despir;
Ele pede alívio;
Preparo a inalação;
Ele é meu vício;
Por ele tudo;
Para mim nada;
Ele deseja;
Bombinha ofertada;
A tosse passando;
Ele respirando;
Tranquilidade orquestrada;
Paz reinando;
Ele não mais chorando;
Voltando para a estrada;
Foi um percalço;
Ele bocejando;
Lutando pela virada;
Eu, no encalço;
Da harmonia;
Ele sonolento;
Caminhando para euforia;
Nós felizes;
Ele dormiu;
Ficarei aqui com minha insônia;
Fazendo poesia.

Régis Eric Maia Barros