Um mundo doente

angustia

Aquele que desdenha da dor emocional e do padecimento mental alheio é perverso. Essa perversão pode ser por desconhecimento ou por maldade mesmo. Independente do fator causador, o estrago na pele de quem tem um adoecer mental é grande. Já não basta ter que conviver com essa dor, ainda será preciso lidar com aqueles que a julgam “frescuragem”. A dor emocional dói na alma. Ela não cede com analgésicos. Ela lateja, perturba, incomoda e desnorteia. Ela desperta seu sono e também não o deixa dormir. Ela sufoca e atormenta. Ela é cretina, pois não te deixa em paz. Ela é soberba, visto que, a arrogância faz parte da sua composição. Ela é humana – uma das piores dores humanas. Quem a sentiu entende o que eu estou tentando falar. Inclusive, ressalto que o mesmo indivíduo, que critica e caçoa de quem padece desse sofrimento, poderá ser acometido, em algum momento, pela mesma dor. Precisamos de mais respeito, tolerância e compreensão. O mundo está doente. Precisamos pensar…

Régis Eric Maia Barros
Médico Psiquiatra