Onde está a filosofia?

 

Muitos perguntam e questionam sobre o local da filosofia na vida e no mundo. Em outras palavras, qual seria a aplicabilidade da filosofia? A minha resposta é simples – ela está em todos os lugares e acaba sendo utilizada para tudo. Basta ter olhos para perceber. Por exemplo, Descartes em sua primeira meditação nos trás uma análise dos equívocos da nossa experiência. Embora ele entenda que o contato com o mundo se dá pelos sentidos, nada é capaz de provar que eles são verdadeiros. Portanto, nossos sentidos podem nos trair. Eles não são provas racionais tal qual a matemática. Eles, certamente, nos confundem. Eles trazem falsidade, pois a verdade do conhecimento não poderá ser provada pelo consenso das sensações de várias pessoas. A experiência é falível e o que vem dela não é indubitável. Para mostrar esse caminho, Descartes fez uso do “Gênio Maligno”. Uma espécie de Deus não bondoso que nos enganou e criou uma falsa realidade como uma espécie de Matrix. Nela, talvez, vivemos. Então, qual seria a prova de que estamos, agora, vivos ou acordados? Qual seria a prova que tudo isso é real? Qual seria a prova de que vocês, de fato, me lêem nesse momento? Será que existo? E você existe também? Certamente, usaremos os sentidos para nos justificar, contudo eles são falhos e nos enganam. Quantas vezes eles nos enganaram. Quantas vezes nós os usamos para enganar. De forma cética, Descartes nos traz uma angústia (a da realidade), mas, por outro lado, ele nos presenteia com a necessidade de sermos questionadores e capazes de criticar e exigir mais materialidade sobre tudo que chega a nós. Assim, deve ser. Não aceitar formatos e rótulos de verdades mentirosas nos faz mais grandiosos. Nessa vida, se pudéssemos escolher, quem sabe, seríamos, também, um Gênio Maligno para criar falsas experiências. Espero que experiências do bem com propostas positivas. Alguns filmes trouxeram essa idéia em formato subtendido. Se tivéssemos o poder do Gênio Maligno, talvez, não poderíamos mudar os pontos negativos e dolorosos da vida e do ser humano, porém, quem sabe, poderíamos maquiar para doer menos. Quem sabe poderíamos criar sensações falsas para que a angústia se dissipasse. O vídeo abaixo evidencia isso. Percebam, portanto, Descartes na sua frente e se você refletir poderá encontrá-lo. em outros pontos da sua vida.

Régis Eric Maia Barros

 

http://www.youtube.com/watch?v=VzFpg271sm8&list=PL7E89E345EA700889&index=11&feature=plpp_video