O mundo imundo  

Nosderam espelhos e vimos um mundo doente

O mundo doente

Com afetos ausentes

Atitudes incoerentes

Do homem inconsequente

As relações humanas

Sacanas

Olhares que enganam

Gulosos e ardilosos

Comportamentos gananciosos

Sem propósitos humanísticos

Mas, não importa!

Autocentrado e ególatra

Voltado para o umbigo

Olhando para consigo

Somente isso

Isso é o que importa

Trajetória sem volta

Dores que incomodam

Pessoas arrogantes

Funcionamentos delirantes

Que causavam espanto

Agora, nem isso

Repetições

Redundando as aparições

Do se dá bem

Para um alguém

Que esquece dos outros

Tratando-os como encosto

Encostando o respeito

Apedrejando o amor

Limitando a caridade

Ó mundo!

Sonhos aniquilados

Estamos maltratando

Você e todos que querem viver

Aonde chegaremos…

Régis Eric Maia Barros