Lado B e Lado A

Direitos trabalhistas

Lembrei-me de uma música do Rappa cujo título é o mesmo desse artigo. Segue um trecho dela: “se eles são Exu, eu sou Iemanjá. Se eles matam o bicho, eu tomo banho de mar”. O bem e o mal se confrontando. O certo e o errado em contraste. A dicotomia sempre fará parte do pensar humano e isso é de certa forma saudável, contudo, quando a dicotomia é cega e de um maniqueísmo a priori, perderemos a possibilidade de crescer. Assim, é o momento do Brasil. A classe política e o governo tripudiam de todos nós. Eles buscam tirar direitos históricos e conquistados a muito custo. Eles sacaneiam a todos, sejam direitistas ou esquerdistas, sejam do Lado B ou do Lado A. Não haverá mais aposentadoria para seu ninguém. Os direitos trabalhistas estão sendo questionados e os trabalhadores do Lado B e do Lado A (a grande maioria da população) ficarão mais expostos e desprotegidos. Permite-se o ditado popular: “abre-se a porteira de modo que, onde se passa um boi, passará uma boiada”. É o início do fim. Se não agirmos, um direito será eliminado atrás do outro. Mesmo assim, não há trégua, pois, se o Lado A diz que o “certo” é isso, o Lado B, mesmo sendo prejudicado, faz uma reatância psicológica e diz que o certo é “aquilo outro”. Uma situação triste! Um pensamento pobre e ultrapassado. Não é uma questão ideológica. É mais do que isso. É um “Fla x Flu” sem vencedores. É preciso entender uma coisa: a maioria de nós, população brasileira, não é do empresariado. A maioria de nós (Lado B e Lado A) está, sob essa égide analítica, do mesmo lado. Trabalhamos intensamente. Trabalhamos diariamente. Arcamos com impostos. Pagamos nossas contas. Somos roubados e não temos uma saúde adequada, uma segurança respeitosa e uma educação digna. E, mesmo assim, nos perdemos toscamente na postura dicotomizada dessa sociedade doente que construímos. Eles, políticos, são os escrotos dessa história. Não sou eu e nem você. Os cretinos são eles. Nem sei se você é de direita ou de esquerda. Só sei que a esmagadora maioria de nós (Lado B e Lado A) somos trabalhadores. Não é possível aceitar calado a atitude deles de escamotear nossos direitos. É perverso com nós mesmos. É insano. É ingrato. É errado. É preciso, mais do que nunca, acordar. Acordemos enquanto há tempo…

Régis Eric Maia Barros
Médico psiquiatra
Trabalhador
Servidor Público