fé versus razão

Anselmo de Aosta

Prezados,

Termino o domingo com esta pequena reflexão

Desde Platão e Aristóteles há um pensar num demiurgo capaz de criar e de ter protagonizado a origem. A relação entre a “fé” e a “razão” motivou o pensar de muitos filósofos. Na verdade, muitos postularam sobre esta relação e, por vezes, foram incisivos na defesa dos seus pensamentos. Até os dias de hoje, tais relações são trabalhadas com ardor e calor.

Neste caminhar, tivemos desde dialéticos e místicos-religiosos radicais até representantes mais moderados que pensaram num meio termo.

Caminhando nas minhas leituras, gostei da alternativa do pensamento escolástico de Anselmo de Aosta cuja foto adicionei nesta postagem. Ele, sabiamente, assim refletiu: “a dialética não se presta para o entendimento dos mistérios da fé, mas para demonstrar a necessidade da fé”. Portanto, ele não nega a dialética e, pelo contrário, tenta usar alguns dos pressupostos dela para mostrar a importância de se ter fé.

E você? O que você acha sobre tal relação? Neste nosso mundo e nesse modelo de vida, precisamos de fé? Precisamos crer em algo ou usaremos a razão, a lógica e a dialética para tentar provar a inexistência do divino?

A escolha é de cada um e de antemão deixo claro que respeitarei quaisquer uma delas.

Boa noite e boa semana

Régis Eric Maia Barros