Eu espero

Uma vida justa
Repleta de luta
Que me aperte
Mas não machuca
Ver meus filhos sorrindo
Vivendo por muito tempo
Essa vida, dita, justa
Que nos momentos de dor
Minha fé e meu amor
Responda sem culpa
Beijos apaixonados
Quero receber
Se estiver arrasado
Eles são meus
Que possam enaltecer
A vida!
Bela e destemida
Pouco me importa as feridas
Elas hão de cicatrizar
Meus amigos são capazes de curar
Tudo!
Doravante nesse mundo de Meu Deus
É preciso continuar
Quando as lágrimas correrem
Respirar será preciso
Pois, nada é permanente
Mesmo o amargor cretino
Dissipa-se!
Evapora-se!
Vai embora!
Se esperamos a paz
Ela nos tocará
Mas, até lá
Precisamos ser fortes
Força é o que espero
E, para ti, é o que desejo

Régis Eric Maia Barros