Dia Internacional da Síndrome de Down

Hoje (21/3 ou na descrição americana 3/21 – trissomia do cromossomo 21), é o Dia Internacional da Síndrome de Down e por coincidência, ontem, eu fiz uma perícia psiquiátrica numa jovem portadora desta síndrome. Foi uma perícia para um processo de interdição. Um perícia simples, visto que, os elementos contidos nos autos e nos relatórios médicos facilitavam as conclusões. Inclusive, já existia a tutela antecipada numa curatela provisória.

Ao final da perícia, a mãe da pericianda pediu para que ela falasse obrigado e que agradecesse formalmente aquela entrevista. Eis que ela se levantou da sua cadeira, foi ao meu encontro, abraçou-me carinhosamente e beijou meu rosto com afeto. Um afeto puro e sincero percebido por mim sem que ela precisasse dizer uma palavra. Mesmo assim, ela falou com volume baixo, próximo do meu ouvido: “obrigado, doutor“.

Aquilo me tocou. Eu não fiz nada de mais. Eu fiz, somente, a minha tarefa técnica e humana.  Mesmo assim, havia, por parte dela, um agradecer humano, puro, sincero e bondoso que cada vez mais é raro de se perceber nas pessoas ditas “normais”.

Um beijo em todos portadores de Síndrome de Down