Corações petrificados e azedos

coração de pedra

 

Costumo dizer que aqueles que possuem “corações” de pedra e mergulhados no azedume de sentimentos ruins são capazes de espalhar essa energia. Infelizmente, tais sentimentos são propagados como partículas virais em surtos e epidemias. É muito difícil encontrar uma proteção ou uma barreira para eles. Eles são mais do que aerotransmissíveis, pois, tais sentimentos, se propagam pela voz, pelo pensar, pelo sentir, pelo respirar, pela presença e, quiça, pelo olhar. As pessoas com corações de pedra e azedos são virulentas e, vez por outra, resistentes às nossas defesas. Muitas vezes até temos anticorpos monoclonais para nos defender além de células fagocitárias poderosas, contudo, lamentavelmente, esses sentimentos nos tomam e nos machucam. Alguns colegas psicanalistas chamam parte dessas invasões de formação reativa. Quem sabe pela necessidade de reagirmos a eles para não adoecermos. É fato! Os corações de pedra e os azedumes provenientes deles são capazes de adoecer pessoas e espaços. Infelizmente, uma grande proporção daqueles que possuem tal tipo de coração não querem mudar e acabam por propagar sentimentos negativos por toda uma existência. Resta-nos lamentar, pela escolha da não mudança, e nos proteger para não sermos contaminados. Infelizmente, ainda não há vacina, mas há uma grande possibilidade de proteção – faça do seu coração algo pulsante e doce. A pedra e o azedume temem tais tonalidades afetivas.

 

Régis Eric Maia Barros