A pior traição

traição

Confiar nunca foi uma tarefa simples e desprovida de riscos. Pelo contrário, confiar piamente em alguém ou em algo é um prelúdio de sofrimento. Sempre, poderemos nos frustrar com o externo, mesmo que estejamos diante de pessoas amadas. Nessa ciranda, quando “damos com os burros n’água”, sentimo-nos traídos e, assim, despejamos nossos lamentos e lamúrias nos supostos traidores. Isso é muito comum e todos nós sabemos disso. E por isso mesmo, eu aprendi a esperar muito pouco do outro. Não vivo esperando nada de ninguém, visto que esse outro pode não me ofertar o que eu queria que fosse ofertado. Às vezes, o problema pode estar nele, que não me ofertou, ou, em mim, que esperava algo inexistente a ser ofertado. Portanto, caminho sem sonhar com o que poderá vir de “fora”. Assim, protejo-me, cada vez mais, da fatídica sensação da traição. Percebo que a pior traição acontece dentro de nós mesmos. Eu posso não esperar alguma coisa do outro, mas, obrigatoriamente, eu devo esperar tudo de mim. Assim sendo, para mim, quando nos traímos, estaremos diante de algo avassalador. A pior traição acontece quando negamos os nossos valores. A traição mais dolorida surge quando nos afastamos da nossa essência. A pior traição prospera quando deixamos de fazer, por algum motivo, aquilo que julgamos ser o certo. A traição mais criminosa é aquela capaz de ofuscar o que somos. Essa traição é severa, pois nos negamos e produzimos um ser que não somos. Se, por ventura, isso vier a acontecer, será trágico conviver conosco. Quando alguém nos trai ou sentimos que ele nos traiu, ficará fácil despejar nesse outro o nosso fel. Mas, seria difícil suportar esse despejo de nós em nós mesmos. Em face disso, defendo que o outro nunca terá para conosco um grão da responsabilidade que temos conosco. Enfim, passei a esperar de mim mesmo. Passei a querer ser uma pessoa boa, bondosa e de valores melhores. Luto para ser ético e justo. Trabalho para ser um bom pai que seja capaz de proteger meus filhos desse mundo cruel. Filosofo na busca de ser feliz. Esses são meus planos e, por isso, nunca aceitarei uma traição minha para mim mesmo. Não quero saber dos outros, mas sim de mim…

Régis Eric Maia Barros