A insanidade

loucura

 

Uma mente repartida

Fragmentada

Aniquilada, pela mentira

Agredida

Pela realidade, que mente

A todo instante

Uma dor que se sente

No peito e na alma

Um desorganizar inconseqüente

Pondo à prova

Toda a vida

Machucando

A insanidade é atrevida

Neurônios em repressão

O Id em confusão

A agonia aquecida

Tudo atormentado

Essência estremecida

Perdido e sem sentido

Ardendo

Aqui, não existe um ego cogito?

Intranqüilo é o experimento

Descomprometido é o real

Vozes e pensamentos

Insights em todos os momentos

Delirando em busca da paz

De uma estabilidade

Que satisfaz

Aja logo antipsicótico!

Haja esperança

Pela bonança

Dopamina da insegurança

Organize as idéias

Estruture essa colméia

Encéfalo esfacelado

Terapeuta desesperado

Buscando um ungüento

De ação imediata

Segura e eterna

Tomara que dê certo

Mente

Minta para a insanidade

Retorne à normalidade

Régis Eric Maia Barros